Retrospectiva Baiser: O Primeiro Beijo no Cinema

Pois é pessoal, como há tempo que não elaborava por aqui um de meus especiais, resolvi quebrar o jejum com muitos e muitos beijos! De forma similar ao visto na Quinzena Terror do ano passado, irei fazer uma retrospectiva do Beijo na Sétima Arte, passando pelas décadas até a atualidade. Estou planejando um total de 8 posts; Espero que gostem!

Para iniciar, como não poderia deixar de ser, vou falar sobre o primeiro beijo capturado em filme e exibido ao público. Confiram!

Em 1896 foi exibido um filme (The Kiss) com cerca de 47 segundos onde May Irwin e John Rice - gravado durante a última cena do musical teatral The Widow Jones - beijam-se. Algo que parece banal para nós, há época foi uma importante manifestação artística e tecnológica; Vez que a própria captação de imagens em movimento era novidade. Os idealizadores deste momento foram William Heise e Thomas Edison. Graças a sua importância, estas imagens atualmente se encontram preservadas junto ao National Film Registry nos Estados Unidos.




E aí, o que acharam?

.

This entry was posted on 14 de set de 2011 and is filed under , , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

17 Responses to “ Retrospectiva Baiser: O Primeiro Beijo no Cinema ”

  1. Muito legal!
    Seu conteudo tá cada vez melhor ;D

    ResponderExcluir
  2. O bom do seu blog são as aulas de historia!Parabeeens!

    http://juventudeinformada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Então fica como sugestão para esse post-kiss o trecho [mais lindo, na minha opinião] do livro "O Jogo da Amarelinha" do Julio Cortazar... para mim ele foi perfeito na definição de um beijo!

    “Toco a tua boca, com um dedo toco o contorno da tua boca, vou desenhando essa boca como se estivesse saindo da minha mão, como se pela primeira vez a tua boca se entreabrisse, e basta-me fechar os olhos para desfazer tudo e recomeçar.
    Faço nascer, de cada vez, a boca que desejo, a boca que a minha mão escolheu e te desenha no rosto, uma boca eleita entre todas, com soberana liberdade eleita por mim para desenhá-la com minha mão em teu rosto e que por um acaso que não procuro compreender, coincide exatamente com a tua boca que sorri debaixo daquela que a minha mão te desenha.
    Tu me olhas, de perto, tu me olhas, cada vez mais de perto e, então, brincamos de “ciclope”, olhamo-nos cada vez mais perto e nossos olhos se tornam maiores, aproximam-se, sobrepõem-se, e os “ciclopes” se olham, respirando indistintas, as bocas encontram-se e lutam debilmente, mordendo-se com os lábios, apoiando ligeiramente a língua nos dentes, brincando nas tuas cavernas, onde um ar pesado vai e vem com um perfume antigo e um grande silêncio. Então, as minhas mãos procuram afogar-se nos teus cabelos, acariciar lentamente a profundidade do teu cabelo enquanto nos beijamos, como se tivéssemos a boca cheia de flores ou de peixes, de movimentos vivos, de fragrância obscura. E, se nos mordemos, a dor é doce; e se nos afogamos num breve e terrível absorver simultâneo de fôlego, essa instantânea morte é bela. E já existe uma só saliva e um só sabor de fruta madura, e eu te sinto tremular contra mim, como uma lua na água.”

    ResponderExcluir
  4. Tati:

    De tirar o fôlego este trecho....
    Amei!!

    ResponderExcluir
  5. Interessantíssimo esse Especial...
    É sempre bom relembrar alguma coisa não é verdade?
    :)
    http://cantinhocomtudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. curti o blog retribuindo vist ate mais

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post! Um pouco de romantismo é muito bom!
    passa lá?
    http://uaimeu10.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso post, karla...Obrigado, pois você tá trazendo a historia para aqueles que ainda não a conhecem. =]

    ResponderExcluir
  9. hahaha, sensacional
    seu blog é mto bom.
    que legal o beijo, e o melhor eh a preparação do cara, com o bigode neeh rs

    bjao Karla

    ResponderExcluir
  10. O ternamente engraçado é que todo o filme é um beijo só. Apenas no final ele se consuma, há um beijo oficial, mas no decorrer da filmagem inteira o casal conversa com as bocas unidas, em preliminares do que, para a época, era praticamente sexo explícito. Que linda a intimidade dessa conversinha ao pé da boca. Beijíssimos e sucesso no sempre adorável blog!

    ResponderExcluir
  11. Karla, essa eu não sabia e nem tinha assistido a essa cena. Eu ia sugerir o primeiro beijo interracial que foi entre William Shatner e Nichelle Nichols, mas aí lembrei que vc está abordando os beijos de cinema e não de tv como minha sugestão. Abs!

    ResponderExcluir
  12. (Em tempo; relaxa quando topar com meu link e já tiver comentado, não precisa fazer de novo e eu não vou interpretar mal. Sem dúvida eu peguei no pé dos comentaristas vazios. Achei isso infelizmente necessário. Mas jamais pensaria isso de vc e como meus updates andam lentos - muito trabalho - .., enfim fico feliz !! Abs e obrigado!

    ResponderExcluir
  13. Karla,

    já que o assunto é beijo no cinema, esse do link tb é muito legal:

    The Kiss In The Tunnel - George Albert Smith - 1899

    Link:

    http://www.youtube.com/watch?v=oFrLeBdo-6Q
    ou
    http://youtu.be/oFrLeBdo-6Q

    Bons filmes.

    ResponderExcluir
  14. Muito bom o seu blog, Karla. Já virei seguidor. Abraços. www.gilbertocarlos-cinema.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Ai que legal.... já tinha ouvido falar mais nunca pensei em pesquisar rs
    Adorei

    http://marifriend.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente fantástico Karla!
    É interessante acompanhar essas coisas; ver como elas evoluíram ... não só na questão das filmagens, mas também na produção, no figurino, e na própria atuação. Uma relíquia!

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!