Sim, Eu Fugi

Naquele dia que revivo de tempos em tempos, quis por a culpa em você. Não se preocupe, sei que fui eu quem fugiu e com toda a dor suprimida caminhou para a distância. Como poderia permanecer? O caos era meu aliado.

Não! Não conseguiria trazê-lo para dentro dos muros de minha prisão pessoal. O meu sentir era forte demais. Recusei fitar seus olhos, desistiria da fuga sem titubear. Depois dos abusos e das agressões que ocultei, das feridas que fiz questão de cuidá-las só, em silêncio, não teria como deixá-lo aqui comigo. Seria uma injustiça anunciada. Meu passado assombrava o presente com dúvidas. Estava perdida num emaranhado inominável. Mas, era meu; Somente meu fardo.

Quando jurei estar pronta para tentar, vi algo dele em seu vulto. O pavor que domina os amaldiçoados invadiu minhas veias, tremi cogitando a possibilidade de experimentar da dor de quem se permitiu uma vulnerabilidade no envolvimento. O papel de vítima nunca mais seria meu. Você não era ele. A lógica escapou-me e corri do que cada célula do corpo gritava ser certo. Permiti que a beleza do sentimento desvanecesse por entre as lembranças da aniquilação vivida.

Quantas vezes fantasiei comigo libertando-me desta mudez seletiva, concedendo-lhe todos os detalhes deste passado doloroso. Não fui capaz. Tenho ciência da covardia, ainda que justificada. Sinto muito tê-lo arrastado até aqui.

Soube que hoje você encontrou sua felicidade merecida nos braços de outra. Sinto-me contente com a notícia, assim como já falou Dolly Parton:
"And I hope life, will treat you kind

And I hope that you have all that you ever dreamed of
Oh, I do wish you joy
And I wish you happiness
But above all this I wish you love".

Com a certeza de que saí de sua vida, seus pensamentos, definitivamente, as palavras deitaram-se nesta carta - eu e minha mania de cartas - que nunca enviarei. Deixarei-a por aqui, na esperança de que algum dia você esbarre nela e encontre as respostas que, inadvertidamente, neguei-lhe.

Confira o texto também no RECANTO DAS LETRAS.






This entry was posted on 15 de ago de 2012 . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

One Response to “ Sim, Eu Fugi ”

  1. Olá.

    Muito bom!!!
    Este, eu vi no Recanto mas quis comentar aqui. Gostei do blog... volto mais vezes com certeza.

    Boa noite e parabéns pelo texto e pelo blog.

    ;D

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!