Sete Anos

Sete anos passaram rápido longe de você.
Aos poucos fugi da culpa,
Em passos reconstruí-me sem o arrependimento,
Encontrei uma calma autossustentável.
Distante do meu sentir fervoroso
Aprendi a reavaliar meus atos, 
Vivê-los por mim.
Segui,
Não tinha escolha.
Tanto amor,
Tanto ódio,
Você em mim.
Eu não estou em você.
Sete anos...
Bastou-me um reencontro de olhares para retornar à estagnação passada.
Não quero apaixonar-me de novo por seu ego;
É minha vez de ser egoísta.


Confira o texto também no RECANTO DAS LETRAS.


This entry was posted on 15 de ago de 2012 . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

3 Responses to “ Sete Anos ”

  1. Oiiii querida!!
    Lindo poema,nem o tempo apaga um amor já considerado esquecido,basta ver a pessoa amada para seus sentimentos vir a tona com todo seu fervor!!
    Bjsss!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu poema, na verdade adoro todos, você usa muito bem as palavras, Parabéns sinceros.

    http://manualdosdezesseis.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Encantador!


    "Não quero apaixonar-me de novo por seu ego;
    É minha vez de ser egoísta."

    O amor, por vezes, faz com que nós abandonemos a nós mesmos... E o pior, é quando esse "abandono", é em vão.

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!