Elvis Presley: I Was Born Standing Up!

Dos filmes que o Elvis Presley fez, um não me canso de rever: Balada Sangrenta. Ao contrário de seus outros sucessos, em King Creole (1958), o lindo vem numa personagem séria, preso em uma vida assombrada pela má relação com o pai, envolvimento com a máfia, desonestidade, a vontade de ser alguém e, é claro, disputas amorosas.

Num clima de rebeldia remetendo ao estilo James Dean e Marlon Brando, o filme desenrola-se de forma segura e densa; Nada de números despropositais de música, nada de "muita confusão e garotas", aqui se buscou mostrar o real lado ator de Elvis. O mesmo fez bonito, inclusive arrancando elogios da crítica especializada. Não era para menos, Presley estava no chão que ele sempre quis pisar. 

Como disse anteriormente, nesta película há uma preocupação em tirar o mito musical de cena, explorando Danny Fisher. Fazer isto num drama musical com Elvis não é uma tarefa tão simples, contudo, a direção de Michael Curtiz foi pontual nos momentos em que usava a esfera musical, como na cena que segue:


Infelizmente, nem sempre a qualidade e o público parecem convergir. Assim, Balada Sangrenta não foi um grande sucesso de bilheterias, o que interferiu nos futuros filmes de Elvis - voltando as comédias de cartas marcadas. Independente disto, nestes 35 Anos sem Elvis só se consegue confirmar o talento e a força que o mesmo possuí. Iconográfico!

Eu gosto de você.
Por isto estou chorando.

This entry was posted on 17 de ago de 2012 and is filed under , , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

2 Responses to “ Elvis Presley: I Was Born Standing Up! ”

  1. Adorei a visuaização dinâmica!
    tô meio cansada do meu layout/template/visual...
    Desde a inauguração do blog há 4 meses atrás ...ainda não me encontrei no visual,rs.
    beijosssss

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião, um dos melhores filmes do Elvis. Michael Curtiz soube conduzir muito bem a produção, e pra quem é fã do Elvis, é indispensável!

    Fico feliz que esteja de volta!
    Seu blog é um dos meus preferidos.

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!