Livro de Outubro: Hamlet


Com esta loucura que me foi imposta nos últimos tempos, além dos naturais acontecimentos improváveis, acabei negligenciando uma das minhas sessões aqui do blog: Livro do Mês. Para quem não sabe ou é a primeira vez que esbarra com meu espaço - Seja Bem vindo! -, possuo alguns tópicos fixos, como por exemplo: RedescobrindoAlém da ArteFilmografia em Fotos e Outros. Então, para dar um espaço maior a literatura, uma vez  a cada 30 dias, comento sobre um livro que li neste período. Ou seja, uma obra literária mensal! Assim, em virtude do correr diário, o último post era do mês de julho. Por isto, nesta semana estarei recuperando o atraso e falando sobre os livros que selecionei para cada mês. Então, para outubro resolvi escolher um texto teatral com fantasmas, conflitos psicológicos, mortes e muito lirismoHamlet.
.
  • Principal Atrativo:
Ler uma peça teatral nem sempre é tarefa fácil, ainda mais se a pessoa não tem qualquer convívio com esta arte. Só fica mais complicada se o dramaturgo escolhido adora inversões, referências e poesia. Shakespeare é um bom exemplo disto, contudo, saborear de um texto deste mestre resta em sublimação. Esta não é a primeira vez que releio Hamlet, o primeiro contato que tive com a peça foi ainda na época em que participava de um grupo teatral. Adoro o drama psicológico montado aqui, o que não deixa a história envelhecer. Por tal, tenho o costume de rever o livro periodicamente. Como minha vida pessoal anda um tanto conturbada e outubro pressupõe uma ligação com mistérios do além, achei propícia a leitura. 

  • História:
Um jovem príncipe (Hamlet) resolve vingar a morte inexplicável de seu pai (também, Hamlet), no Reino da Dinamarca. De início resta evidente que o responsável pelo falecimento prematuro do rei é o seu Tio Claudius; O qual envenenou aquele para poder casar-se com a mãe de Hamlet e tomar o trono. Neste contexto esbarramos com os mais variados personagens e um trabalho exemplar quanto a sanidade, as traições, a moral, experimentada por tais.

  • Opinião:
Um retrato bem peculiar de uma situação política decadente, da ambição inerente do homem, da loucura imposta pelas traições, de tramas maquiavélicas e, acima de tudo, do caráter falho da humanidade. Shakespeare desenha uma história onde nem tudo é luz, onde as trevas fazem questão de aparecer sob a luz de escolhas não tão nobres e suas consequências inevitáveis. O texto é de uma beleza surreal, com uma agilidade não mais vista atualmente. Outro ponto que chama muito a atenção é o zelo nas referências sociais e na criação das personagens - complexas e profundas. A morte também está muito presente no livro, como se vê pelo treco abaixo, referenciando-se a bela amaldiçoada Ofélia:
E espelha as flores cor de cinza na água, ali, com suas líricas grinaldas de urtigas, margaridas e rainúnculos, e as longas flores de pupúrea cor a que os pastores dão um nome obsceno e as virgens chamam “dedos de defunto”. Subindo aos galhos para pendurar essas coroas vegetais nos ramos. Pérfido, um galho se partiu de súbito, fazendo-a despencar-se e às suas flores dentro do riacho. Suas longas vestes se abriram, flutuando sobre as águas; Como sereia assim ficou, cantando velhas canções, apenas uns segundos, inconsciente da própria desventura, ou como ser nascido e acostumado nesse elemento. Mas durou bem pouco até que suas vestes encharcadas a levassem, envolta em melodias, a sufocar no lodo.”
Confesso que por mais que eu gostaria de fazer uma análise completa da obra - o que demandaria tempo de trabalho, sem limitar-se a uma postagem -, não irei entrar em muitos detalhes; Recomendo com fervor a todos os apaixonados pelo lado não tão belo do humano, amantes do teatro e da literatura arte.

  • Extras:
Algumas adaptações para o Cinema: Todas homônimas e lançadas em 1948, 1990 e 1996 - gosto muito desta última


This entry was posted on 9 de nov de 2011 and is filed under , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

9 Responses to “ Livro de Outubro: Hamlet ”

  1. Eu gosto mto de Hamlet. E tem um filme do Mel Gibson q relata mto bem!
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser estupendo
    comenta no meu tbem
    posts recentes,nome do proximo xbox,entre outros
    Lifetecno2011.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gosto dos quadrinhos que meio que não tem nada a ver com esse livro mas pelo relato deve ser legal, irei procurar

    ResponderExcluir
  4. Shakespeare é Shakespeare né?
    Não é meu livro predileto desse escritor (Amo "Otelo"), porém o vejo muito superior a "Romeu e Julieta", é uma leitura que vale a pena!

    ResponderExcluir
  5. deve ser bom.. só pelo autor né.
    rs
    http://www.hrdoblush.com/

    ResponderExcluir
  6. Já li uma grande parte dos trechos, é lindo.

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo texto. Os diálogos poéticos são inesquecíveis.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  8. Um excelente livro, já O li por duas vezes, é esplendido. Shakespeare é o maior escritor que este mundo ja teve. "Só Shakespeare salva"

    http://paulosergioembuscadotempoperdido.blogspot.com/

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!