Escapismo Cinéfilo: Tese - Morte Ao Vivo

Os Reality Shows invadiram a telinha. Apesar do conceito parecer "atual", a ideia surgiu ainda na década de 70. Todavia, viu sua expansão nos anos 90. O porquê disto? A simples curiosidade natural de saber um pouco mais sobre a vida alheia. Mas, e quando esta curiosidade não se limita a vida? O mito dos Snuff Films está aí para responder este questionamento. A ânsia por cenas reais mórbidas é tratada de forma inteligente na película de estréia do ótimo Alejandro Amenábar como diretor de longa metragem; Com vocês no Escapismo Cinéfilo...  


Sinopse:
Uma estudante de cinema está escrevendo uma tese sobre a violência audiovisual. Na busca por material, ela depara-se com um fita de vídeo contendo cenas de uma garota sendo torturada. Com a ajuda de um colega logo descobre que se trata de um filme "Snuff". Assim, os dois investigam a origem e os culpados deste.
.
Ficha Técnica:
Título Original: Tesis
País: Espanha
Gênero: Terror e Suspense
Ano: 1996
Diretor: Alejandro Amenábar
Elenco: Todo o elenco pode ser visto AQUI; Os principais são


Ana Torrent - Ángela


Fele Martínez - Chema

Eduardo Noriega - Bosco Herranz


Xabier Elorriaga - Castro

Miguel Picazo - Figueroa


.
Prêmios:
  • Grand Prize of European Fantasy Film in Silver (1997): Diretor Alejandro Amenábar foi o vencedor.
  • CEC Award (1997): Alejandro recebeu o prêmio como melhor artista revelação.
  • Grand Prize of European Fantasy Film in Silver (19997): Indicação de Alejandro Amenábar(Méliès d'Argent 1997 at Brussels International Festival of Fantasy Film).
  • Goya (1997): Foi vencedor nas seguintes categorias = Melhor Edição para María Elena Sáinz de Rozas; Melhor Filme; Melhor Ator Revelação para Fele Martínez; Melhor Diretor para Alejandro Amenábar; Melhor Direção de Produção para Emiliano Otegui; Melhor Roteiro Original para Alejandro Amenábar e Melhor Edição Sonora para Daniel GoldsteinRicardo Steinberg  e Alfonso Pino; Além da indicação na categoria de Melhor Atriz para Ana Torrent .
  • No Festival de Cinema de Gramado - Golden Kikito (1996): Ganhou na categoria Latina de Melhor Atriz para Ana Torrent; Além de ter sido indicado a categoria Latina de Melhor Filme.
  • Mysfest (1996): Indicado ao prêmio de Melhor Filme.
  • Ondas Awards - Film Award (1996): Alejandro recebeu o prêmio como melhor diretor.
  • Prêmio AEC (1997): Ana Torrent recebeu o prêmio como Melhor Atriz cinema.
  • Sanit Jordi Awards (1997): Recebeu o prêmio concedido pelo público na categoria de Melhor Filme.
  • Valdivia International Film Festival (1997): Alejandro Amenábar ganhou o prêmio do público.
.Crítica:
"Me llamo Ángela, me van a matar..."
Por que a violência extrema em audiovisual atraí tanto público? Esta era a pergunta que a universitária Ángela intentava responder em sua tese para a faculdade de cinema. Dona de uma natureza inquisitiva e longe da morbidez, ela desejava traçar um perfil dos interessados e das influências que estas cenas muito violentas geram na sociedade. Para isto, no entanto, ela precisaria mergulhar no universo hardcore da cinefilia. Como este acesso ao extremo era mais restrito - eis que muitas vezes este "gosto" fora percebido até como uma falha de caráter, por assim dizer - pede auxílio a um professor e a um colega (reconhecido por ter fascínio ao estilo). Partindo deste pressuposto, Alejandro cria um roteiro tão surpreendentemente bem amarrado que quase é de se duvidar que o fez  tendo apenas 23 anos. 

Tratar de snuff - que para quem não sabe são aqueles filmes onde uma morte real é filmada - sem cair numa mesmice e ainda ser capaz de transpirar questionamentos filosóficos não é para qualquer um, e digo isto tanto no quesito criadores quanto telespectadores; Afinal, apesar do filme em si não ser pesado e manter um bom ritmo, causa certo incômodo ao cogitar a trivialidade da vida, além do crescimento da insensibilidade, bem como a compararação com a nossa sociedade de consumo.
Um dos pontos que mais aprecio no filme é que as personagens não são rasas, todas possuem o "bem" e o  "mal" bem delimitados. A dualidade inerente resta muito bem explorada pelo diretor. Exemplo disto são duas cenas que ocorrem na praça de alimentação da faculdade: Num primeiro momento aparece Ángela com seus fones de ouvido escutando música clássica; Cenas mais tarde, ela se mantém na mesa habitual usando os mesmos fones, só que agora os sons são de gritos gravados da maldita fita snuff que encontrou. Ela não consegue parar de ouvi-los. A mesma persona de boa índole é capaz de acessar o seu lado mais sombrio, com asco e fascínio.

As aparências também são uma ótima forma de elucidar as incongruências, sendo que aqui destaco a personagem de Chema. O estudante de cinema é admirador de violência e pornografia, um tanto desleixado e agressivo no trato - aqui a direção de arte acertou em cheio ao montar seu apartamento -, todavia, aos poucos vamos conhecendo o lado mais "doce" dele, como na cena em que ele recita O Aniversário da Infanta de Oscar Wilde. Detalhe, Fele Martínez que arrasou no papel de Chema era estreante. Aliás, todo o elenco foi muito bem escolhido e dirigido.
Para mim, entretanto, o momento que mais me fez refletir foi a seqüência final da película. Sem muitos diálogos e com uma câmera acompanhando os protagonistas resumiu a conclusão pessoal do diretor, sem deixar de levantar outros diversos pontos. Calma, não vou contar ela aqui não...

Só afirmo isto:
Sabe quando acontece aquele acidente na estrada e nossos olhos simplesmente não evitam encarar?
Neste filme você também não irá desviar o olhar.

Classificação:

Onde Encontrar:
Por ser um filme mais antigo e talvez não tão conhecido, encontrei bastante dificuldade em localizar o produto em sites nacionais. Todavia na Amazon é possível encontrar nas seguintes versões:
Trilha Sonora:
Alejandro - genial como ele só - além de escrever e dirigir o filme, compôs sua canção tema homônima; Como não localizei o áudio em específico, coloquei este  vídeo com um trecho do filme aonde é possível curtir bem a música. No mais, ouça agora:


Para Mais Escapismo Cinéfilo clique AQUI!



This entry was posted on 18 de out de 2011 and is filed under , , , , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

14 Responses to “ Escapismo Cinéfilo: Tese - Morte Ao Vivo ”

  1. Excelente post. Assim que der vou assistir esse filme. Não conhecia.

    Abç e bons filmes.

    Maxx.

    ResponderExcluir
  2. Bons filmes estão aqui! Esse, como de costume, é um grande e bom filme!!!

    ResponderExcluir
  3. Um dos melhores filmes de suspense espanhois, realmente como foi citado é quase impossivel acreditar quem fez era uma rapaz de 23 anos na época. Muito bom filme.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  4. uma boa dica de filme e sua analise tbm!
    abraços

    ResponderExcluir
  5. Adoro filmes!!!
    Vou procurar esse para assistir, seguindo a sua indicação

    ResponderExcluir
  6. Interessante esse filme... Nunca tinha ouvido falar. Verei o trailer :)
    Amei seu blog, viu ? Espero que também goste do meu :)
    Estarei fazendo visitas assim que puder.
    Beijocas :)
    http://blogadosaki.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu não sabia que os reality shows são antigos assim!

    ResponderExcluir
  8. parece ser legal!

    http://rocknrollpost.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Gosto da temática do filme e acredito que a ideia do Snuff atrai muito por que choca os conceitos humanos da Fortaleza da Vida. É algo chocante e provocativo, mas mesmo assim macabro.

    Só um detalhe; eu nunca havia visto um filme tão futurista. Lançado em 19 mil depois de Cristo.

    http://pelotaonline.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Nosssa, muito bom essa sinopse. curti muito mesmo.

    falando em Realit Show, conhece a série Dead set? è curta tem apenas duas horas.

    è uma série inglesa que no dia do paredão do Big Brother acontece um apocalipce zumbi.e adivinha? o pessoal de dentro da casa fica discutindo quem é que deve ou não sair da casa para buscar ajuda.
    É uma critica bem bolada e existe toques de humar.

    ResponderExcluir
  11. Matheus:

    hehehehe
    Aparentemente eu adoro o número 9!!!
    Ou prevejo o futuro ;P

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  12. Adorei KARLA!!!!!

    Sempre quis saber mais deste filme do Alejandro Amenábar. Adoro o Abre los Ojos e Os Outros.

    Preciso conferir.

    Beijão!
    =D

    ResponderExcluir
  13. Caramba, me deixou curioso e já estou "afogado" de séries e filmes pra assistir/acompanhar. Vou acabar dando adeus a minha vida social D:

    http://cafezados.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Karla; quanto tempo!

    Não tenho muito a dizer sobre esta obra-prima. Repito as palavras de Kiko Lemos; um dos melhores filmes de suspense espanhois. O seu blog, a cada dia mais completo no que diz respeito a clássicos do cinema.

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!