Escapismo Cinéfilo: Jesus Cristo Superstar


Esta é uma daquelas dicas de filmes limitadas a um grupo específico; Ou pelo fato de ser um musical , e/ou pela maneira que traz a história de Jesus Cristo. Distante de ser um trabalho de cunho religioso, o musical Jesus Cristo Superstar, retrata tudo com sabor diferenciado e agarra-se mais ao aspecto humano e revolucionário daquele período. É preciso uma mente aberta e lírica para aproveitar verdadeiramente a visão artística envolvida.

Sinopse:
Oriundo de uma peça, com músicas de nada menos que Andrew Lloyd Webber, Jesus Cristo Superstar relata os últimos dias da vida de Cristo de maneira bem artística e recheada de elementos contemporâneos - de hippies a metralhadoras.

Ficha Técnica:
Título Original: Jesus Christ Superstar
País: Estados Unidos
Gênero: Musical, Histórico e Drama
Ano: 1973
Elenco: Todo o elenco pode ser visto AQUI; Os principais são


Ted Neeley - Jesus Cristo


Carl Anderson - Judas Iscariotes


Yvonne Elliman - Maria Madalena


Barry Dennen - Pôncio Pilatos


Bob Bingham - Caifás



Prêmios:
  • Oscar: Indicado a categoria de Melhor Canção e Melhor Trilha Sonora.
  • BAFTA Film Award: Vencedor na categoria de Melhor Trilha Sonora e indicado nas categorias de Melhor Cinematografia e Melhor Figurino.
  • British Society of Cinamatographers: Vencedor na categoria de Melhor Cinematografia.
  • David di Donatello Award: Vencedor como Melhor Filme Estrangeiro.
  • Globo de Ouro: Indicado as categorias de Melhor Filme Comédia/Musical, de Melhor Ator de Comédia/ Musical para Carl Anderson e para Ted Neeley, de Melhor Atriz de Comédia/ Musical para Yvonne Elliman e de Ator Revelação para Carl Anderson e Ted Neeley.

Crítica:
Nascido pouco depois da peça, o filme traz todos os elementos da época em que foi idealizado: Anos 70. Um musical TODO cantado - se há falas, estas estão inseridas nas canções -, faz uso de diversos elementos teatrais (inclusive os atores) para demonstrar a sua visão artística, e por que não dizer controversa, desta história contada e re-contada por diversas vezes.

Um dos momentos mais bonitos, inclusive a canção em si, reside na dúvida vivida por Cristo antes de cumprir com o seu destino; Os instantes presenciados em Gethsemane são retratados de forma particular na composição de Webber, bem como pela voz com traços de metal de Ted Neely. Confira o trecho:
Then, I was inspired. Now, I'm sad and tired. Listen, surely I've exceeded expectations, tried for three years, seems like thirty. Could you ask as much from any other man? 

Além de conseguir manter o ritmo sem possuir diálogos, ganha pontos pela ambientação - nas ruínas de Jerusalem -, pelo figurino e pelas coreografias; Todos coerentes e no limite do vanguardista/absurdo. As músicas merecem um tópico a parte, já que são belas composições e feitas no estilo ópera-rock bem apelativo para a trama.

A história é trazida conforme os eventos conhecidos da Bíblia. Entretanto, a forma como tais são montados poderá incomodar os mais religiosos; Uma vez que apresenta Judas como um anti-herói afro-descendente, por sua vez, Maria Madalena vem com traços orientais e o Rei Herodes homossexual e cômico. Ao contrário das tradicionais versões, a película debate o ser humano, seus erros, suas dúvidas, suas ambições e seus falsos julgamentos. Os vilões, propriamente ditos, limitam-se a Caifás e Anás. Os outros são vistos com um tom de compaixão.


Desta forma, considero este ser um musical imperdível e único - mais parecido com Hair. Recomendado aos que assistirão com olhos atentos a arte envolvida.

Classificação:

Onde Encontrar:
Na situação específica de Jesus Cristo Superstar, tive a sorte de encontrar o DVD em um "sebo" de filmes por aí pelo valor de R$ 10,00. Contudo, a obra cinematográfica é considerada rara e em sites como Mercado Livre chega até o valor de R$ 115,00. Localizei, no entanto, através do Preço Mania, o site MovieMars.com que teria o filme por R$ 16,06 - vindo dos EUA.

Caso queira assistir trechos on line, o Canal A Diamond in the Rough possui diversas cenas do filme em boa qualidade, mas, não é legendado.

Trilha Sonora:
Escolhi 5 canções para este playlist. Destaco a primeira música que é cantada pelo ator que interpreta Jesus Cristo e fala sobre o seu lado humano, suas dúvidas e seus desejos. Também a segunda, esta interpretada por Judas Iscariotes, retratando os questionamentos quanto a existência de um fator divino. E, por fim, a I don't know how to love him que se trata de uma canção de amor de Maria Madalena para Jesus - linda!

Ouça agora:



This entry was posted on 31 de out de 2011 and is filed under , , , , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

8 Responses to “ Escapismo Cinéfilo: Jesus Cristo Superstar ”

  1. Parece ser bem interessante,fique com vontade de assistir.
    Ótima dica,como sempre *-*

    ResponderExcluir
  2. A história de Cristo, obviamente é super legal. Mas, em formato musical nunca me atraiu. Quem sabe um dia......prefiro a versão tradicional, nesses casos.

    ResponderExcluir
  3. Quando eu tinha lá uns 7, 8 anos eu era maluca por esse filme. Passava na tv por assinatura, eu assistia o tempo inteiro, sabia todas as musicas... Me lembrou minha infância agora...^^

    ResponderExcluir
  4. Karla!
    Mas veja só, ainda não conhecia este filme. Me parece muito interessante, e claro, bem diferente. Acho que nunca vi algo parecido; fiquei bem curiosa quanto a produção; principalmente por não ser tão atual. Vou procurar pra assistir!

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito do trabalho de Andrew Lloyd Webber, amo Fantasma Da Ópera, ainda mais com sua musa Sarah Brightman. Tinha horas que não cansava de ouvir as canções, tão clássicas. Cats então nem se fala! ;)

    Mas vi flashes deste filme. Preciso assistir com atenção. Gostei do post.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Adoro o filme Jesus Cristo Superstar. Em 2000 foi feita uma refilmagem, mas eu nunca assisti.

    ResponderExcluir
  7. repseito o ponto de vista de todos
    não acha que esse trabalho tenha sido ofensivo
    so acho ruim mesmo

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!