Escapismo Cinéfilo: Cashback

Em tempos onde somos sobrecarregados com grandes produções, explosões, cores, 3D e muita preocupação com um visual extraordinário da película, é fácil habituar-se com roteiros não tão redondos, não tão instigantes. Nada contra a conjugação de produzir de forma extraordinária, contudo, esbarrar com filmes mais interessados em contar uma história pessoal, um tanto absurda e muita lírica é um verdadeiro alívio e uma pitada de inspiração. Nesta gama, deixo aqui o Cashback (2006).

Sinopse:
Um estudante de arte (Ben Willis), após um doloroso fim de relacionamento, percebe-se com insônia. Sem conseguir dormir - e com muito tempo de sobra -, ele resolve arrumar um emprego no turno da madrugada em um supermercado. Justamente por ser um horário, digamos, "fora de mão", o tédio e a contagem dos minutos são os principais rivais. Assim, cada um dos colegas de trabalho de Ben possui a sua forma de combatê-los. Talvez pelo excesso de criatividade, talvez por ser um talento real, Ben consegue parar o tempo, podendo andar contemplativo pelos corredores e deixando a sua imaginação fluir naturalmente.

Ficha Técnica:
Título Original: Cashback
País: Reino Unido
Gênero: Comédia, Drama e Romance
Ano: 2006
Diretor: Sean Ellis
Elenco: Todo o elenco pode ser visto AQUI; Os principais são

Sean Biggerstaff - Ben Willis


Emilia Fox - Sharon Pintey


Saun Evans - Sean Higgins


Michelle Ryan - Suzy


Stuart Goodwin - Jenkins





Prêmios:
  • Bermuda International Film Festival: Vencedor do Prêmio do Júri por melhor roteiro para o , também diretor, Sean Ellis.
  • San Sebastián International Film Festival: Vencedor do Prêmio C.I.C.A.E. Award para Sean Ellis.

Crítica:
Era início do corrente ano, ali pelo dia 02 de janeiro, que encontrei o longa - derivado de um curta homônimo - passando na telinha. Início de ano é assim, um misto de idas e vindas mentais, dançando por entre estratégias passadas não cumpridas. São nestes instante que ouso saborear da ansiedade pessoal e que uso como conselheiras as mais variadas películas incongruentes. Para começar o ano em pausa, trancafiei-me em ilusões cinematográficas.

Após uma overdose de imagens e do sono invadindo meu corpo, resolvi checar a programação televisiva. Assim, com a voz interna gritando What hell… Você aguenta mais um pouco!” Deixei-me levar pela trajetória em cena. Ainda bem! Pois a surpresa não poderia ter sido mais agradável. Como falei anteriormente, divirto-me com as atuais superproduções Hollywoodianas, mas, são nos trabalhos despretensiosos que reencontro minha paixão pela sétima arte.

Adoro quando o universo das personagens soa complexo, apesar da realidade costumeira que as cerca. Em Cashback soma-se a complexidade pessoal com a sensibilidade artística de um ser abençoado/torturado pelo olhar diverso sob o mundo. Conjunção que me faz perder as estribeiras e amar as singularidades e os clichês.

Ben, persona que nos conduz durante o longa, com sua visão de pintor e habilidade imaginária de desacelerar o tempo joga na cara os detalhes mínimos esquecidos por nossas almas cansadas.

Uma cena que retrata com maestria tal ocorre quando, por entre as suas divagações tardias, Ben (Sean Biggerstaff) relata a sua superexposição ao belo residente no corpo feminino. Sua visão da mulher é tão deliciosa, sem malícia abusiva e voltada para o real despercebido, que a nudez coletiva das tomadas ecoa natural e em arte.

Talvez seja o romantismo que finjo não existir em mim;
Talvez seja meu espírito artístico e instinto poético;
Talvez seja o olhar esperançoso e focado nos segundos esquecidos pelo sonho;
Não sei exatamente de qual fator seria a culpa-mor. Mas, amei caminhar pela madrugada criativa exposta na película. Tomara que todos consigamos ver o mundo de maneira única, sem sufocar na correria.

Para os idealistas como eu, um tanto clichês e ansiosos pela percepção do divino real, recomendo a película. E digo mais, não deixemos que a lógica imposta nos cegue da verdadeira beleza.

Classificação:

Onde Encontrar:
Eu tive a sorte de assistir ao filme pela TV, pois em minhas pesquisas não encontrei nenhum site nacional que disponibilizasse o DVD - e os que encontrei já haviam vendido todas as cópias. No Amazon até tem o longa de Sean Ellis, mas não conferi se eles entregam no Brasil. Logo se vê que não é um filme muito fácil de achar. Então, para os interessados, o site Baixar de Graça possuí link para download.

Trilha Sonora:
soundtrack é bem variada e possui algumas versões ótimas. Destaco a instrumental Inside, a Girl is On my Mind e What else is There?; Ouça agora:


This entry was posted on 1 de set de 2011 and is filed under , , , , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

12 Responses to “ Escapismo Cinéfilo: Cashback ”

  1. Nossa, fiquei super curiosa pra ver o filme.
    Bem o estilo que eu gosto. Adicionei a minha lista; *-*

    ResponderExcluir
  2. Huummm quero ver!!!!
    tenho empatia pelo estilo!
    mt bom !

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o filme.... Sempre escrevendo bem objetiva.... Legal seu jeito de escrita..... Profissional....

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi muito falar desse filme. Confesso que não me interessei muito. Porém, depois de ler a crítica, me deu uma vontadezinha de assisti-lo.

    Depois vou procurar na internet.

    Bj ;*

    ResponderExcluir
  5. Muito bom esse filme!!! Já assisti e achei sensacional!! Ótima dica para quem nunca viu vale a pena demais!! Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Ai deve ser ótimo esse filme hein...
    Eu não vi mais vou pesquisar rs
    beijo
    http://marifriend.blogspot.com/2011/09/erro.html#comments

    ResponderExcluir
  7. Olha este filme é muito bom so acho que ele tem comedia de mais porem a historia de prende do começo ao fim e este é um filme que exige muito de quem assisti nos faz pensar

    ResponderExcluir
  8. heheeh também costumo insistir em filmes que não me atraem a princípio. diga-se de passagem, acho que não só em filmes...
    bjus!

    ResponderExcluir
  9. Filmaço. Sem mais :)
    Planejo escrever sobre ele no meu site. É um dos meus favoritos :)

    Bom texto, como sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Retribuindo a visitinha e seguindo.
    Muito interessante seu blog, bem diferente d tuda q ja vi pela blogesfera..
    Parabéns pelo blog, mto bom.
    Ainda ñ conhecia este filme, me parece ser mto bom, vou assisti, gosto desses estilos..
    Bom final de semana.
    Bjs!

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!