Templo

O meu corpo é seu templo.
Sua prece, meu caminho.
Seus murmúrios, ordens.

O meu corpo é seu pecado.
Suas mãos, meu paraíso.
Minha boca, seu inferno.

O meu corpo é seu domínio.
Sua soberania, meus gemidos.
Sua liberdade, minha prisão.

O meu corpo é seu desenho.
Seu traço, meu contorno.
Meus braços, sua moldura.

O meu corpo é seu.
E para que mais dizer,
Ou juras soltar,
Se o seu silêncio é a resposta para meus sentidos,
Obscurecidos pela vontade de novamente sua ser.


Confira o texto também no RECANTO DAS LETRAS.



This entry was posted on 23 de mai de 2011 . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

3 Responses to “ Templo ”

  1. OWNT.
    Você que faz? *-*
    www.cerejalouca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Gostei, deste. Trouxe lembranças que me deixavam felizes em outras épocas, e isso é bom.

    parabens

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia, bem instigante.

    Eu curti.

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!