Prisão Pessoal

As moscas agitadas,
Perdidas entre os reflexos.
Um clima amuado
Anúncio de chuva.
Como trilha sonora: Um metal melódico, romântico, clichê
Carrega os olhos daquele que senta  na esquina segunda do restaurante.
Solitário e perdido
Alimenta-se sem provar dos gostos.
Por entre os ruidosos talheres,
E pratos,
E copos,
O silêncio parece dominar o homem esquecido na rotina.
Quando será que foi?
Quando chegou no limiar
De não mais saber
O que um dia jurou encontrar?


Confira o texto também no RECANTO DAS LETRAS.



This entry was posted on 23 de mai de 2011 . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

One Response to “ Prisão Pessoal ”

  1. Bonito texto!
    Venha nos visitar tbm
    Abraços
    http://uaimeu10.blogspot.com/

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!