Resoluções de Final de Ano

Nem sempre termino desta forma. Optei por este fim, pois sei que entenderá minhas letras como ninguém. Ambos sabemos que seria assim, que não dependia de nós. As areias do tempo rolaram, e venho despedir-me de você 2009. Passou que quase não pude ver. Sinto como se ainda ontem foi o dia em que nos apresentamos. Veio até mim tão fresco e novo; E eu, ferida e cansada, nem me dei o privilégio de aproveitar seus primeiros momentos.

De cara quis isolar-me e passar por um processo voluntário de cura. Seus ares de início calharam-me tão bem... Saí do luto e ousei fazer planos - novos e antigos tratados para a nossa relação que seguiria. Prometi tanta coisa para este ano que, por vezes, deixei-o correr sem dar me conta dos segundos preciosos que escapavam.

Antes de notar o meio-dia, acordei no carnaval! E mesmo que a velocidade do tempo tenha me feito de vítima, tivemos nossos momentos. Durante o seu período alcancei um dos meus maiores objetivos, tornar-me uma advogada. Ganhei muitas batalhas, surpreendi-me com alguns elogios, descobri qualidades e pessoas inesperadas. Consegui deixar para trás alguém que jurava não ter forças. Aprendi o valor de uma boa e sincera despedida, por mais doída e complicada, tem horas que o finalizar é vital.

E no meio de tantas coisas boas, gargalhadas sinceras, reafirmação de amizades e amores passageiros que temperaram você, derramei muitas lágrimas este 2009. Vi um mito morrer, um anjo retornar ao céu e a força perder a batalha para a doença. Não acreditei quando abri o jornal e nada pude fazer para mudar. A crise financeira aconteceu e alterou o ritmo de muitos, inclusive o meu. Ah... tive decepções, rompimentos e brigas.

Nem tudo que esperei aconteceu, algumas metas simplesmente não tiveram chance. Mas cresci com cada erro, com cada passo, com cada surpresa armada. E não é isso que devemos pedir de cada relação que tivermos? Com você, 2009, experimentei de tudo isto. Sou grata por cada instante que provei.

E é neste balanço que faço, com relato humilde e leviano de tudo que passamos juntos, em que percebo que jamais seria a mesma se com você não tivesse encontrado. Vivi e não me arrependo disto.

Agora com o fim que se anuncia, como de outros 20 e tantos anos, sigo saudosa para uma nova jornada. Todavia, prometo não lhe esquecer e fazer jus a tudo que me ensinou por entre risos e lamentos.

Só nos resta um adeus sentido.
E, para mim, anotar mais uma lista de resoluções costumeiras e inovadoras neste amanhecer de 2010.


Que bom termos passado por isto.
Obrigada!







Confira o texto também no RECANTO DAS LETRAS.









This entry was posted on 11 de fev de 2011 . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

Leave a Reply

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!