Estereótipo

(estereo- + -tipo)
1. Artes gráf. Chapa obtida pela fusão de chumbo numa matriz ou numa impressão. = clichê.
2. Trabalho feito com essa chapa.
3. Ideia, conceito ou modelo que se estabelece como padrão.
4.
Preconceito.5. Coisa que não é original e se limita a seguir modelos conhecidos. = lugar-comum
s. m.6. Patol. Comportamento ou discurso caracterizado pela repetição automática dum modelo anterior, anônimo ou impessoal, e desprovidas de originalidade e da adaptação à situação presente. =
estereotipi
................
O trecho acima colocado trata-se da definição concedida pelo dicionário on line Priberam, na qual se ressalta o grau de limitações que a palavra representa. Desta maneira, há uma evidente contradição entre o que se busca como pessoa versus o que se anseia como sociedade. Ou seja, enquanto o indivíduo sonha com suas peculiaridades, o conjunto social impõe padrões de conduta, postura, estilo e senso de beleza. Até aqui não vejo motivos para discussões, eis que creio todos presenciamos isto como evidente. Então, qual é o meu objetivo com esta postagem em andamento? Nenhuma grande revolução, somente fazer uma análise pura e simples de como esta contradição influenciou/a minha vida e meus conceitos particulares. Talvez as palavras que venha a ler a seguir soem mais como um desabafo, do que com uma grande revelação; Mas, acordei com vontade de expor-me um pouquinho e não criar falsas impressões ou ilusões. Só ser, só estar, só "falar".


Da Personalidade: Desde muito menina não pensava ou agia como alguém usual, por assim dizer. Ao invés de ser delicada e doce, era briguenta, adorava sujar-me e boneca servia para criar alguma "peça teatral" e não para ninar. Jogar futebol era uma das minhas paixões, juntamente com a leitura e o encantamento pelo imaginário. Enquanto vários anunciavam minha timidez aniquiladora, os que se davam ao luxo de conhecer-me mais a fundo notavam alguém quieta e nada tímida. Como definiu minha antiga orientadora de Teatro - na época em que eu ainda tinha tempo para aventurar na aura teatral que tanto adoro -: "Você é um vulcão". Eu sempre fui um vulcão pseudo-adormecido. Com o tempo transcorrendo e no amadurecimento involuntário da existência percebi que minha expressão não poderia limitar-se a visão dos outros, tinha que ser minha, tinha que ser além... Comecei a escrever, a deixar meu infinito particular jorrar em letras e ser livre. Aos poucos fui estabelecendo a minha ideia pessoal do quem sou eu, definição ainda distante de ter uma resposta pronta e definitiva. Então, ao rever antigos conhecidos e conversar com estranhos familiares, notei que sempre fui reduzida a esteriótipos como: A estudiosa, a tímida, a artista, a santinha, a CDF, a dedicada, a coitada, a coadjuvante, a meiga, a sensível, a assexuada... Estes todos seguidos das respectivas implicações; Quais sejam: Só deveria eu ouvir MPB, adorar ursinhos e flores e passar horas e mais horas de pura inflitração no estudo. O quanto disto é verdade? Muito pouco e em proporções completamente distintas as imaginadas. Cheguei em um ponto de minha vida que não suportei mais estas conceituações, ou tentativas infrutíferas de ver-me em um grupo específico, uma tribo. Não sou um padrão de algo que já existiu, niguém é ou deve ser. Parei de buscar entender o que eu era, passei a viver o que eu sou. Hoje adoro fugir do anônimo e impessoal, sou eclética e não dialética. E daí se eu gosto de Tom Jobim e The Clash? Se eu assitia Stra Trek e deliciava-me culposamente com Novelas Mexicanas? Se eu gosto do artesanal e o metalizado? Se eu grito horrores em um show e derramo lágrimas no cinema? Afinal, não sou um padrão, não sou monótona.
Da Aparência: De similar modo acontece com o conceito de beleza. Passei anos e mais anos tentando encaixar-me no dito "belo", que acabei perdendo as forças, a auto-estima e cometando verdadeiras loucuras na tentativa de uma falsa aceitação. Eu queria ser Aquele esteriótipo! Não importava se minha genética havia imposto diferente. Eu tinha que conseguir ser daquele jeito daquela forma. Tive que atravessar o inferno antes de perceber que minha beleza é diferente, mas, nem por isto menos verdadeira. Primeiro aceitei o fato de que minha altura não passaria de 1,58 metros. Depois foi mais uma batalha até eu compreender que meus quadris eram largos mesmos e que meu corpo teria curvas, sou brasileira oras! Agora, o mais difícil foi o meu peso: As dietas malucas, os desmaios, os machucados... Foi tanta coisa, tanta besteira, tanta irracionalidade, que dou graças por estar confortável sob minha pele. Só depois de 25 anos pude encarar o espelho e perceber que nunca caberei naquelas imposições; Todavia, nem por isto deixarei de ser bonita como eu mesma. Só quem passou por isto é capaz de entender o tamanho da complicação gerada.
Crescendo no meu conceito de pessoa, libertei-me dos modelos pre-determinados, do preconceito, das (in)verdades absolutas e mais Karla Hack dos Santos tornei-me. Assim como já cantaram Os Mutantes: "Dizem que sou louco por pensar assim/ Se eu sou muito louco por eu ser feliz/ Mas louco é quem me diz/ não é feliz, não é feliz/ (...)/ Eu juro que é melhor/ Não ser o normal/ Se eu posso pensar que Deus sou eu".



 Thanks!!!


This entry was posted on 10 de mai de 2010 and is filed under , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 . You can leave a response .

31 Responses to “ Estereótipo ”

  1. Karlinha, voce arrasou novamente, adorei o seu texto e faço minhas as suas palavras... Desde pequeno fui taxado de cdf, etc, e por ser moreno sofri mais ainda, bullyng, hoje vejo a vida com outros olhos, sou dono de mim, faço o que quero e sou muito feliz. E temos de lembrar que a nossa felicidade vem sempre de dentro, temos de nos valorizar, estarmos bem conosco, aí todas as pessoas verão o quanto somos especiais!!! E você é uma gatona, super inteligente, escreve muito bem, e sou seu fâ!!!!!! Parabéns!!!!

    http://thiagobatticelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. gostei, achei digno mais confeso q boioe um poquinho no começo gatuxa

    seu blog ta show d bola
    c der, da uma passadinha no meu

    http://drehluvz.blogspot.com/ :q

    ResponderExcluir
  3. moça!
    cada vez q venho aqui me surpreendo mais!
    beijo e continue assim
    ^^

    [ ]'Luis

    ResponderExcluir
  4. o que importa é vc ficar bem com vc mesma, todos devemos ser assim. Sabe se a gente se aceita do jeito que é, nada nem ninguém nos coloca pra baixo.
    Gostei do texto, a vida é mais que beleza, o importante é ser feliz ! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Gosto de pessoas inteligentes, não sei falar de mim...escrever sobre mim mesmo....coloquei que seu blog era instigante, por que vc coloca de maneira pessoal aquilo q eu só consigo fazer com um olhar critico, tenho inveja disso às vezes, mas se originalidade é fazer aquilo que brota "dentro de vc" pela intuição, então essa é minha maneira.
    Te sigo...
    SE QUISER tamo junto www.porumaportaiconoclasta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Você é muito original, precisamos de pessoas assim ! parabéns, sempre que venho no seu blog gosto mais e mais dele :D

    ResponderExcluir
  7. :t Você é linda Karla...
    Eu também, no passado não me aceitava do jeito que soou... Tinha imagem-negativa e ninguém me curtia...
    Mas hoje as coisas mudaram...

    Karla continue sendo essa mulher talentosa e eficiente!

    ResponderExcluir
  8. Adorei o seu texto...suuuuuuuper criativo! Quando agente se aceita como é, o mundo vai nos aceitar também!!!! Temos que nos preocupar em se sentir sempre bem!!! Parabéns pelo blog, maravilhoso! Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Menina.. A cada post seu que leio me identifico mais e mais com você.
    Gostaria de ter um contato mais próximo. Sinto falta de pessoas com essa mentalidade para conviver. Tens msn?
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. meu Deus, a cada leitura que faço neste blog fico ainda mais impressionado, você é muito BOA !

    HAUSHAUSHUASHUAUHSAH

    parabéns !

    ResponderExcluir
  11. Adorei o seu texto...suuuuuuuper criativo! Quando agente se aceita como é, o mundo vai nos aceitar também!!!! Temos que nos preocupar em se sentir sempre bem!!! Parabéns pelo blog, maravilhoso! Abraços. :n

    ResponderExcluir
  12. então vamos lá

    eu aprendi cara karla que nós somos o que acreditamos que somos, então eu posso tudo e posso mesmo a capacidade esta dentro de mim e apenas dentro de mim, ouvir conselhos é bom se aniquilado por eles e dá demasiada atenção não é bom.

    "somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter!"(engenheiros do hawai)

    quando a Beleza, Bandeira disse e estou com Bandeira até a morte
    A beleza é um conceito e a beleza é triste, não nela em si mais no que há nela de fragilidade e incerteza

    já fiquei muito tempo perturbado também com essas divagações aí aprendi que abstrair continua sendo o melhor negocio.

    Abraços desse poeta menos

    ResponderExcluir
  13. Gostei!
    Você é um exemplo a ser seguido!

    ResponderExcluir
  14. Demorei mas li.
    Quem dera se toda uma sociedade pensasse como você. Viveríamos num mundo muito melhor.

    http://des-controlados.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. karla,
    acho que todos nós quando crianças/adolescentes sofremos devido aos comentários que porventura recebemos dos colegas, ou então por sermos taxados por nossos modo de vestir, falar ou agir. acredito que com a maturidade acabamos percebendo que somos aquilo que queremos ser sem importar-se com o que os outros pensam a nosso respeito. já sofri mto, afinal fui julgado durante a minha adolescencia. hj percebo que se eu não tivesse uma boa estrutura familiar e principalmente uam estrutura interna eu teria ido por outros caminhos.

    obrigado pelo selo, mas preciso de uma ajuda para copia-lo. ainda não sei mto sobre a blogosfera. os mesmos tem significados?
    abraços.

    fabiano

    http://blog-do-faibis.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Concordo com a Thamy, devemos ser quem somos de verdade ..
    Você é linda *-*

    ResponderExcluir
  17. TExto muito bom, fiqueiii com vergonha do meu depois disso...

    Seguindooo

    rsrsrs

    ResponderExcluir
  18. :t

    Belo texto!Desculpe demorarar meu pc travou :/

    Mas continuando,somos sempre uma mudança não se pode dar estereótipos, como a timida, a estudiosa,a delicada, mas temos que ser da maneira que desejamos, sobre a aparência, sempre há um padrão imposto, eu também estou demorando para reconhecer que não tenho a tão esperada beleza e corpo como as outras pessoas, impor um estereótipo é algo que aprisiona as pessoas a seguir um modo dado que nem sempre lhe é o melhor.

    Bjos.
    Boa Noite!

    ResponderExcluir
  19. Digamos que nossos gêneros são como fases da lua, há tempos que modificamos outros que pioramos, mais nunca desistimos de nossos sonhos, eu sei que o assunto não tem nada haver, mais antigamente eu era uma praga na escola repeti uma 3 ou 4 vezez no primario :c , mais aparti do momento que pisei firme fui longe, hoje estou ai 3 semestre na facul graças a deus.

    ResponderExcluir
  20. Ah simplesmente maravilhoso, chega de estereótipo, voce é linda, inteligente! Uma moça com um futuro brilhante, voce está de parabens. Adorei seu texto..

    ''Não sou um padrão de algo que já existiu, niguém é ou deve ser.''

    Preciso dizer nada né? Maravilhoso!!

    ResponderExcluir
  21. Considero um tanto louco insistirmos na busca da medida da normalidade.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  22. olha eu aki denovo
    atualizando me avisa q adorando aki mto

    http://drehluvz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Eu odeio essa busca pelo belo absoluto, esteriótipos são coisas impostas pela mídia =/

    ResponderExcluir
  24. retribuindo:
    Adorei o post velho li tudinho hein?
    é verdade a gnt tem que se acc do jeito que é e n fiakr tentando se encaixar em algum estereótipo: temos que se libertar disso!
    seremos verdadeiros se formos quem somos,
    e n se formos "maria vai com as outras"
    olha adorei tudo isso aki,
    ainda volto pra comentar mais e espero o mesmo!!

    http://nikomoska.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. se feliz consigo mesmo sempre! estar bem pra vc para parecer legal para os outros.
    adorei o blog virarei assiduo.

    te encontrei na comunidade do blog do orkut.

    da uma comentada no meu?

    fullhousee@wordpress.com

    ResponderExcluir
  26. Me identifiquei com cada palavra, é como se de repente alguem lesse minha mente e explicitasse todas meus pensamentos em um texto
    um dia quero escrever assim, conseguir demonstrar o que penso,ainda me falta vencer várias dessas barreiras, me livrar dos esteriótipos...mas um dia chego lá
    Parabéns

    ResponderExcluir
  27. dos vários blogs que andei lendo ultimamente, procurando, quem sabe, encontrar algo interessante que ler e, porque, não ser lida também, até agora não havia encontrado nenhum com um texto digno de ser seguido. você tem uma loquacidade... e é interessante. adorei seu texto. de verdade. se quiser, dê uma passada no meu blog. trocar leitura com pessoas como você, seria ótimo. mas sinta-se muito a vontade para não seguir se não gostar. não desejo que acrescente um numero a meus seguidores, desejo que acrescente algo de seu interesse que possa ler. eu, por aqui, serei leitora assídua.
    gostei muito.
    abraços,
    Marcia

    ResponderExcluir
  28. vc como sempre arrasando nos textos! bela lição de vida e auto-aceitação!
    oxalá todos tivessem maturidade suficiente para encaran as suas peculiaridades!

    abraços

    ResponderExcluir
  29. ótimo post sobre a individualidade, creio que muitos desta nova geração que cresce ao nosso redor mão terá tamanha consciência de que podem ser eles mesmos e deixar de lado toda essa pressão da imposição social, seja no visual ou de personalidade e isso é uma fato lamentável, não é mesmo?

    ótimo blog
    gostei mesmo =]

    http://bonecozumbie.blogspot.com/

    ResponderExcluir

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." [ Michel de Montaigne ]

LEIA,
PENSE,
COMENTE!

Obrigada pelo seu Comentário!!